LOOP - O LÍDER NATO

Em todas equipes que jogou, Loop foi um verdadeiro líder. Dentro e fora de jogo!

LOOP – O LÍDER NATO

Sinônimo de liderança, Loop também é a dedicação em pessoa. Em todas as equipes que passou foi uma das peças principais, e não só isso, muitas vezes ele foi o líder dessa equipe, era ele quem dava as calls dentro de jogo e colocava ordem quando a questão era fora de jogo. Na paiN não foi diferente. Loop veio para fazer esse papel de líder e agregar em experiência e inteligência à uma equipe que já tinha nomes consagrados no cenário. Infelizmente a transferência do Loop para a paiN não foi como planejado, a organização foi acusada de aliciamento e o suporte ficou impedido de jogar pelo time da paiN naquele ano.

Mas Loop não desistiu e tirou esse tempo para aprender ainda mais sobre o jogo e claro, ajudar o seu time atual da melhor maneira possivel. Por isso, ele se juntou à comissão técnica da paiN, que na época era formada pelo técnico MiT e o analista rNg. Loop também teve um papel muito importante e uma relação mais próxima com os jogadores Picoca e Ziriguidun, que naquele ano foram os suportes que defenderam a camisa da paiN Gaming.

loop_4

Essa punição poderia ser o ponto de virada na carreira do jogador, ele poderia trocar de equipe ou até mesmo parar de jogar profissionalmente, mas um líder nato nunca abandona o seu clã. Loop voltou a jogar em 2017, ainda pela paiN Gaming, e mesmo desacreditado por muitos casters e analistas ele chegou com ainda mais vontade de vencer. Ele sentiu que a equipe precisava dele e que ele poderia ajudar com o conhecimento adquirido durante esse tempo sem jogar. Hoje ele é capitão e um dos responsáveis pelas calls e decisões dentro de jogo, e junto de um grande elenco, fizeram uma campanha sensacional levando a paiN para mais uma final de CBLOL.

Essa semana conversamos com o jogador para saber mais como funciona essa liderança dentro de uma equipe de estrelas.

loop_3

Seu papel dentro das organizações sempre foi de muita liderança, isso de alguma forma pesa para você e no seu jogo ou fortalece ainda mais a sua vontade de ganhar?
R.: Eu diria que não é um peso, só é mais uma responsabilidade em certos momentos, me faz trabalhar em alguns outros aspectos que normalmente não trabalham.

Mesmo com todo seu background, ainda é difícil liderar um time com nomes de peso como Mylon e Kami?
R.: Com certeza não, jogadores com mais experiência como o Mylon e o Kami tem muito mais noção de certas coisas, trazem ideias novas e me ajudam em muitas coisas.

A experiência em outras posições in-game, te ajudaram a entender melhor o papel dos outros players nessa semifinal?
R.: Um pouco, o jogo mudou muito desde que eu joguei em outras posições, mas ter a experiência de ter trabalhado na comissão técnica definitivamente me ajudou a ver certas coisas de outro ângulo.

O quanto a punição de 2016 te motivou para voltar ainda mais forte esse ano?
R.: Serviu de muita motivação pra me provar novamente, é difícil voltar à ativa depois de tanto tempo mas muita gente me ajudou a voltar à uma forma boa.

Em uma MD5, a emoção deve ir a flor da pele. Como capitão da equipe, como você lidou com isso nessa semifinal?
R.: É sempre importante manter a calma em momentos de decisão, especialmente em séries longas, o essencial é saber se controlar e focar na vitória pra deixar a emoção à solta no fim da série.

Depois da semifinal, o público espera ver uma paiN diferente da que começou essa temporada, mais próximo dos jogos que aconteceram na semifinal. Você acredita que a disputa da classificação trouxe para vocês um novo estilo de jogo que o público pode esperar ver na final?
R.: Momentos difíceis e decisivos sempre trazem à tona novas qualidades, o conhecimento adquirido na preparação pra semifinal com certeza vai nos ajudar na final.

Não está sendo fácil segurar a ansiedade, e se depender de Loop e companhia, essa final será lotada de emoção! #GOpaiN